Supérfluo?

Junto ao caixote do lixo, num pachorrento domingo de outono, jaziam três brinquedos de grande porte, em bom estado, mas com quem os seu donos já não brincava há muito tempo. Todos concordaram que os brinquedos precisavam de novos donos que, realmente, brincassem com eles mas tinham um receio “E se ninguém os quiser? Vamos deixá-los ali à chuva e ao sol?”. Medo, que se veio a verificar, infundado. Cerca de dez minutos foi o tempo da sua curta estadia, até que um casal mirando, lhes pega, apreciando, trocam um olhar sorridente e conspiratório, colocando-os, rapidamente, no porta bagagens do seu carro, seguindo viagem. Sorrimos, na esperança, ingénua, ou não, de que o que por aqui era um estorvo, sirva de muitas brincadeiras e motivo de alegria para outra(s) criança(s). Destralhar a casa é sempre positivo, especialmente porque o que é supérfluo para nós, é ou pode ser uma necessidade ou algo útil para outros.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s