Um belo passeio na zona centro

Aproveitámos as férias de Natal para passear com a pequenada na zona centro, dando-lhes a conhecer um bocadinho da história de Portugal. Experimentámos, pela 1ª vez o Airbnb para procurar alojamento e ficámos fã, a nossa “sede de operações” foi em Alcobaça (uma casa e um anfitrião espetacular)

1º dia
Visitámos o percurso sensorial da Pia do Urso, uma terrinha muito arranjadinha e um passeio muito agradável com várias atividades livres para a pequenadada e um ótimo espaço para fazer um belo piquenique tendo com música de fundo o xilrear dos passarinhos.
Depois de almoço, fomos até à Gruta das Moedas e ao Centro de Interpretação ver as suas galeiras (estilo semelhante mas com muito menos estalagmites e estalactites que as grutas vizinhas), ver minerais e fósseis e perceber o porquê da formação de grutas em zonas calcárias.
Terminámos o dia com uma boa caminhada para observar Pegadas de Dinossauros (de Saurópodes) na Pedreira do Galinha. São grandes, dentro de um pegada cabem os pés das duas pimpolhas da casa e ainda sobra bastante espaço.

2º dia
Fomos até ao Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota para conhecer mais da nossa história. Experimentámos as armas, os elmos e as malhas que os guerreiros usavam, extremamente pesados. Fizemos uma visita guiada muito interessante ao campo de batalha, onde Nuno Álvares Pereira provou que a superioridade numérica não é tudo comparada com uma estratégia bem delineada de quem conhece o terreno e as gentes que o rodeiam. Fizemos um piquenique no local onde, na altura, se situava o acampamento das tropas portuguesas.
Rumámos ao Mosteiro da Batalha, onde à entrada se encontra a merecida homenagem ao homem da batalha, Nuno Álvares Pereira. O momumento mandado construir por D. João I para comemorar a vitória na batalha contra os espanhóis, onde se situa o seu túmulo e dos restantes membros da família, “guardados”, por decreto de D. João I, por D. Martim Gonçalves de Macedo que salvou a vida do rei na batalha de Aljubarrota. Tudo parece grande, majestoso mas, ou talvez por isso, as Capelas Imperfeitas foi onde deambulámos mais tempo e o que mais impressionou.
Cruzámo-nos, no interior do mosteiro, com José Milhazes, o famoso correspondente da SIC na Rússia, que ouvia a comentar um pequeno de 7 ou 8 anos, talvez seu neto, “Aqui não se toca em nada, para não estragar! Quem toca são espanhóis!”. Viva a malta com espírito.
Para terminar o dia, fomos conhecer o interessante Museu da Comunidade Concelhia da Batalha.

3º dia
Fomos até ao Mosteiro de Alcobaça conhecer a história do amor trágico de D. Pedro e D. Inês de Castro. Adorámos a cozinha e as escadas que subiam para o dormitório do monges. À saída, fomos deliciarmo-nos com os doces conventuais da Pastelaria Alcôa. Passeámos no Jardim do Amor, onde os rios Alcoa e Baça se juntam. Rumámos às Caldas da Rainha para apreciar o mercado de fruta e fizemos um piquenique no pequeno jardim. Passeámos e brincámos muito no fabuloso Parque D. Carlos I. Visitámos as loja da fábrica de Bordalo Pinheiro. Fizemos parte da rota bordalina, onde em vários pontos da cidade, podemos encontrar réplicas gigantes de obras de Bordalo Pinheiro. Na Pastelaria Machado, comemos umas cavacas e mais umas iguarias, observámos as montras de olaria manlandra e passeámos nas ruas de comércio tradicional.

4º dia
Começámos o dia no Mercado de Alcobaça, um mercado de venda à antiga, a lembrar os tempos onde os supermercado eram raros.
Para nos despedirmos em grande de 2016, fomos até ao Parque dos Monges passar o último dia do ano. Fizemos bolachinhas, vimos um bela peça de teatro, um espetáculo de magia, ouvimos histórias, passeamos na herdade, demos de comer aos animais, observámos a sua novidade mais recente o “Glamping”, fizemos vários jogos espalhados pela herdade, vimos como se fazia a ginginha de Alcobaça, andámos num carrossel a pedais e pequenada delirou com as atividades radicais: o slide, a escalada, as pontes paralelas e o tiro com arco, muito forte esta pequenada!
Com a alma cheia, despedimo-nos de 2016, observámos o fogo de artifício da nossa janela, desejando que o novo fosse tão bom, ou melhor, que o anterior e com 1001 planos a borbulhar nas nossas cabecinhas pensadoras.

No 1º dia do ano, o excelentissímo esposo desafiou a pequenada a fazer um manequim challenge, adoraram e andaram entretidos uma boa parte do dia. Rimo-nos muito recordando a Mixórdia do Ricardo Araújo Pereira referente ao tema. Muito bom, muito bom!

Umas férias repletas de bons momentos 🙂

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s