“A minha professora é um monstro! (Não sou, não)”

Podia ser um post sobre o que os pequenos pensam muitas vezes das suas professoras ou sobre o que os meus alunos pensam pouco frequentemente de mim ou sobre as relações, cumplicidades e receios que se estabelecem entre professor e aluno que extrapolam, e muito, os conteúdos programáticos, ou sobre como a maioria dos alunos muitas vezes esquece que os professores são pessoas comuns a ver pelo seu espanto quando nos encontram em algum lugar que não a escola  (no parque, no supermercado, no cinema, etc) ou sobre como é, precisamente, esta componente da relação tão pessoal que torna a profissoão docente extremamente extenuante mas não… é um post sobre mais um excelente livro infantil que vale a pena ler e explorar com a pequenada, com uma mensagem que se aplica, espero eu, na maioria dos casos.

“A minha professora é um monstro! (Não sou, não)” é um livro de Peter Brown (autor do  livro Jardim Curioso) sobre o Frederico, um miúdo de cabelos sempre em pé que tem uma predileção por aviões de papel e tem um problema na escola: a monstrinha da sua professora, a D. Lurdes. A D. Lurdes assemelha-se a um ogre: é verde, bate o pé, ruge, tem cara de má e… castiga os meninos que atiram aviões de papel na aula, não os deixando ir ao intervalo, e o Frederico vê-se com o alvo predileto da sua ira de ogre. Até ao dia que se encontram fora da escola, e após o constragimento inicial e o receio/medo do Frederico do seu ogre de estimação, barreiras são ultrapassadas, graças a uma rajada de vento e um objetivo comum. A D. Lurdes vai-se transformando/humanizando, aos olhos do Frederico, e o Frederico partilha com a sua professora o seu local preferido do parque, o sítio ideal para os aviões de papel do Frederico, segundo a D. Lurdes mas que nunca tinha ocorrido ao Frederico. Porque as aparências iludem e os monstros nem sempre são o que parecem, um livro para alunos e professores incompreendidos.

Peter Brown revela num belo post que facilmente podia ter criado um história fo1finha sobre um professora querida de que todos gostam mas… o seu objetivo era desafiar o leitor a pensar o que é ser professor.

“I thought a story about a difficult teacher and a difficult student working through their differences would be more surprising and funny and honest, and would better reflect the unexpected little life lessons that often happen between teachers and students”.
Tão, ou mais interessante, que o livro é o relato de Peter Brown sobre o que o motivou a criar uma história sobre um menino e a sua professora e os contornos da história, e partilha o papel que uma das suas professoras, que ele considerava um monstro, teve no seu percurso escolar e profissional. Vale mesmo a pena ler!

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s