Jardins, praças e água de Lisboa

Fomos conhecer um pouco da história associada à água e aos jardins da 7ª colina do Jardim Botânico, ao jardim do Príncipe Real, do Reservatório da Patriacal, à galeria do Loreto e ao jardim de São Pedro de Alcântara. Muito interessante constatar que, no início do século XIX, Lisboa era uma cidade muito fechada, repleta de conventos e mosteiros, sem espaços de convívio público, onde eram raras as mulheres vistas a circular pela cidade, ruas não pavimentadas e com condições higiénicas duvidosas. Em meados do século XIX, tudo muda com a recolha do lixo, a pavimentação das ruas, nas fachadas dos edifícios predominam os azulejos dando um colorido diferente à cidade, tornando-a mais luminosa, a construção de jardins, verdadeiros locais de convívio público, onde ao centro existia sempre um lago, alimentado pela água canalizada, proveniente do aqueduto das águas livres, que circulava nas galerias subterrâneas (onde ainda hoje se podem observar as várias placas que indicam a direção das condutas de água).
Uma visita muito interessante com organização, em parceria, do Museu da História Natural e da Ciência e o Museu da Água.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s