Pipocas

Irmos os cinco ao cinema sai caro, há prioridades e formas mais interessante de gastar o dinheiro, ser paciente e poupado, na dose certa, são grandes virtudes! Como tal, de quando em vez, temos sessão de cinema cá por casa, patrocinado pelo Tugaanimado, onde nunca faltam as pipocas. Não são as pipocas do cinema mas são muito boas, a prova  é que desaparecem num instante.
Utilizamos uma receita simples que aprendi com uma colega (de casa, nos tempos de faculdade) mas que envolve alguma atenção e agitação. Foi também esta a receita de pipocas que pimpolha mais velha tentou fazer durante o seu período Home alone, não sendo difícil, não foi a escolha adequada para se iniciar nestas lides!

Preparação
Colocar um pouco de óleo a cobrir o fundo de um tacho e açúcar a gosto (costumo usar 1 a 2 colheres de sopa), levar ao lume. Quando o açúcar estiver quase dissolvido, ficando em tons de amarelo, mas antes de ficar em ponto caramelo, colocar o milho espalhado no centro do tacho. Envolver bem, baixar um pouco o lume e ir abanando o tacho frequentemente para que não se queimem as pipocas.
Diz quem já experimentou que a técnica resulta muito bem também com pipocas salgadas mas nós nunca experimentámos.

Queijada de mascarpone e limão

Húmida, levezinha, saborosa!

Ingredientes
50g manteiga
250g queijo mascarpone
1 pacote de natas
150g farinha
150g açúcar
3 ovos
raspa e sumo de 1 limão
1 colher de chá de aroma de baunilha
3 colheres de sopa de sementes de papoila (opcional)
Açúcar em pó para polvilhar

Preparação
Numa taça, bater bem a manteiga com o queijo. Juntar a baunilha, o sumo e raspa de limão, a farinha e o açúcar, batendo bem. Adicionar os ovos, um a um, envolvendo bem. Juntar as natas e sementes de papoila (opcional) e mexer bem.
Levar ao forno pré aquecido a 180º, numa forma de fundo amovível, forrada com papel vegetal, cerca de 30 minutos. Deixar arrefecer antes de desenformar.

Bolo de baunilha e frutos vermelhos

Fresquinho, leve, doce q.b., um verdadeiro e saboroso bolo da época 🙂

Ingredientes
Bolo
1 chávena de açúcar amarelo
2 chávenas de farinha
1 chávena de buttermilk (1 chávena de leite+1 colher de sopa de vinagre)
100g de manteiga derretida
3 ovos
1 colher de chá de aroma de baunilha
1 colher de sopa de açúcar baunilhado
1 colher de café de bicarbonato de sódio

Recheio e cobertura
3 ovos
6 colheres de sopa de açúcar em pó
1 colher de chá de essência de baunhilha
250g de queijo mascarpone
200ml natas
1kg de morangos
100g de amoras
100g de framboesas

Preparação
Bolo
Começar por preparar o buttermilk, a 1 chávena de leite adicionar 1 colher de sopa de vinagre (ou de sumo de limão), deixar repousar durante 10 minutos antes de utilizar (fica um género de leite talhado. Num taça, bater bem o açúcar (amarelo+baunilhado) com a manteiga amolecida. Juntar a essência de baunilha e envolver bem. Adicionar os ovos um a um, batendo bem entre cada adição. Juntar lentamente o buttermilk ao preparado anterior, mexendo sempre. Por fim, adicionar a farinha e o bicarbonato de sódio, envolvendo bem. Levar ao forno pré aquecido a 180º, numa forma de fundo amovível forrada com papel vegetal, durante cerca de 30 minutos (fazer o teste do palito)

Recheio e cobertura
Numa taça, bater as gemas com 3 colheres de sopa de açúcar em pó e o aroma de baunilha até obter um creme esbranquiçado. Envolver bem o mascarpone. Levar o ao frigorífico. Bater as claras em castelo e depois adicionar, envolvendo bem, 3 colheres de sopa de açúcar em pó. Bater as natas em chantilly. Adicionar o chantilly às claras, envolvendo bem. Adicionar ao preparado das gemas e levar ao frigorífico.

Montagem
Cortar o bolo ao meio. Num prato, dispor uma metade do bolo, colocando sobre as mesma os morangos fatiados, cobrir com um dose generosa de recheio e colocar, em cima, a outra metade do bolo. Cobrir o bolo com o restante recheio e decorar a gosta (morangos, amoras e framboesa)
Colocar o bolo no frigorífico.

Brownie de chocolate (+) saudável

Aliciada pelo meu amigo Joaquim, que me mostrou uma receita de um brownie (+) saudável, depois de umas pesquisas nas internets, decidi experimentar fazendo várias adaptações com os ingredientes que havia cá em casa. O resultado foi bastante bom, tivemos que provar várias vezes para garantir a veracidade do nosso julgamento à primeira deitada: cheira a brownie e sabe a brownie, não é nada doce comparado com os originais, tem um intenso sabor a chocolate e é bastante húmido. Nós gostámos muito e a ti, Joaquim, que tal te parece?

Ingredientes
3 batatas doces
1 ovo
200g de chocolate preto
400ml de leite de coco
200g de amêndoa
100g de noz
3 colheres de sopa de mel
2 colheres de sopa de açúcar amarelo
1 colher de sopa de essência de baunilha
1 colher de chá de bicarbonato de sódio

Preparação
Descascar e levar a cozer as batatas doces com um pau de canela. No triturador, picar a amêndoa até ficar tipo farinha. Numa taça, juntar metade do óleo de coco e o chocolate partido aos quadradinhos, levar ao microondas 2 minutos para derreter; envolver bem e juntar o restante leite de coco. Depois de cozidas e bem escorridas, com um garfo transformar em puré a batata doce, adicionando e envolvendo de seguida, o açúcar, o mel e a essência de baunilha. Numa taça, juntar o puré e a farinha de amêndoa, misturando bem com a batedeira. Adicionar o chocolate e bater. Juntar o ovo e o bicarbonato de sódio, misturando bem. Picar as nozes grosseiramente e juntar ao preparado anterior. Levar ao forno, pré-aquecido a 180ºC, num tabuleiro retangular, forrado com papel vegetal, cerca de 30 minutos.

Dica: Fica ótimo congelado aos quadradinhos, separados por papel vegetal (para se poder tirar individualmente. É só retirar com congelador 10 a 15 minutos antes de consumir, fresquinho mas com aquele sabor maravilhoso!!!

Juliana de carnes

Excelente para aproveitar restos de carne (frango assado, bifes, etc) ou para levar para um piquenique ou por pura gulodice. Uma receita que a pequenada gosta muito e que nos foi dada pela avó D. e era de uma antiga teleculinária do Chefe Silva dos famosos anos 80.

Ingredientes
Restos de carne (cozinhada)
1 cebola
3 colheres de sopa de polpa de tomate
vinho branco
ovos
azeite
2 pacotes de batata frita palha

Preparação
Cortar os restos de carne em pequenos pedaços. Num tacho, com um fio de azeite no fundo, colocar a cebola picada e deixar refogar. Num copo, colocar a polpa de tomate de encher com vinho branco, misturando. Juntar o vinho e o tomate ao refogado de cebola e deixar ferver 2 ou 3 minutos. Juntar a carne e deixar cozinhar 5 ou 6 minutos. Adicionar as batatas palha, envolvendo bem. Baixar ao lume, mexendo sempre para as batatas não se pegarem ao fundo. Desligar quando as batatas começarem a amolecer.  Colocar o preparado anterior num pirex, espalhando e acamando bem. Com a ajuda de uma colher fazer pequenos buracos espaçados e colocar, cuidadosamente, os ovos. Levar ao forno, a 180º, até os ovos estarem bem cozinhados

 

Bolo de nutella

Três ingredientes, fácil e rápido de fazer e o resultado é um bolo leve, fofinho e húmido, não muito doce e que desaparece enquanto o diabo esfrega um olho. Ficámos fãs e não somos grandes apreciadores de nutella, aliás este bolo serviu para gastar um resto que estava quase a passar de validade. A prima T. aliciou excelentíssimo esposo com a receita original, que só leva ovos e nutella, nós adaptámos pois só tínhamos um resto de nutella. Não sobrou quase nada para o dia seguinte, resumindo, é delicioso (segundo pimpolha mais velha)

Ingredientes
5 ovos
100g de nutella
100g de chocolate de culinária
açúcar em pó para polvilhar (opcional)

Preparação
Bater bem os ovos, cerca de 7 minutos, até obter um creme amarelinho e volumoso. Numa tigela, colocar a nutella (como a nossa estava de resto utilizei mesmo o frasco) e o chocolate, ao bocadinhos e levar ao microondas cerca de 2 minutos para derreter. Misturar bem até obter um creme homogéneo. Aos poucos, envolvendo sempre, juntar  creme de ovo ao chocolate. Deitar numa forma redonda pequena, forrada no fundo com papel vegetal untado, e levar ao forno cerca de 25 minutos.

 

 

Empadão de atum (com arroz)

Uma receita simples mas muito apreciada pela pequenada e não só. Uma pequena delícia! Aprendemos esta receita com a avó D. que diz que é de uma Teleculinária antiga, da altura em que não havia internet mas haviam cadernos de receitas escritos à mão, e muitas mães se inspiravam na famosa revista do Chefe Silva. É ótima para fazer quando se tem restos de arroz. Uma das comidinhas que costumamos levar para os nossos piqueniques.

Ingredientes
(para dez pessoas )
5 latas de atum
5 ovos
2 colheres de sopa de maionese
1 cebola
azeite
sal

Preparação
Cozer os ovos. Picar a cebola, deitar num tacho com um fio de azeite no fundo. Deixar refogar bem e juntar o arroz (3 chávenas mal cheias), envolver. Colocar 6 copos de água, temperar com sal e tapar o tacho. Deixar cozinhar (aqui por casa gostamos dele bem cozido). No entretanto, enquanto o arroz coze, escorrer bem as latas de atum. Descascar os ovos cozidos. Deitar o atum numa taça, picar grosseiramente os ovos cozidos e deitar na taça com o atum, envolvendo bem. Juntar ao preparado anterior, 1 colher e meia de sopa de maionese (é só para envolver, às vezes 1 é o suficiente), misturar bem.
Depois do arroz estar cozido, num pirex grande, colocar metade do arroz no fundo, espalhando bem, por cima colocar o preparado com o atum, espalhando e acamando bem, colocar o resto do arroz por cima. Colocar meia colher de maionese no topo do arroz e espalhar com um garfo para doirar no forno. Levar ao forno, a 180º, cerca de 30 minutos, até a superfície começar a ficar tostadinha (gostamos mais dele pouco tostado).

Bolo húmido de fécula de batata

Doce, fofinho, húmido, resumindo MUITO BOM!
Ingredientes
Bolo
1 chávena de açúcar
1/2 chávena de fécula de batata
6 ovos
sumo de 1/2 limão
1 colher de sobremesa de fermento
Recheio
3 ovos
3 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de sopa maizena
400 ml de leite.
Cobertura
100 g de chocolate branco
100 ml de natas
1/2 colher de sopa de manteiga
Preparação
Bater as gemas com o açúcar até duplicar de volume. Envolver a farinha com o fermento na gemada. Bater as claras em castelo. Envolver cuidadosamente as claras no preprarado anterior. Levar ao forno, pré-aquecido a 180º, numa forma redonda de fundo amovível forrada com papel vegetal e untada com manteiga, durante 35 minutos  ou até passar no teste do palito.
Para o recheio, misturar os ovos com o açúcar, desfazer a farinha num pouco de leite frio. Misturar tudo e adicionar o leite quente em fio. Levar ao lume , mexendo sempre. até engrossar.
Para a cobertura, partir o chocolate aos bocado, levar ao lume, com a manteiga. Juntar as natas até obter um creme brilhante. Deixar arrefecer e colocar no frigorífico 6 horas ou no congelador para ser mais rápido. (Não tive tempo de fazer esta parte, por isso a cobertura em vez de ficar branquinha e sólida, ficou transparente mas teve a vantagem de embeber bem o bolo!
 
Montagem
Cortar o bolo ao meio e rechear com o creme amarelino(ambos frios). Cobrir com a outra metade do bolo. Cobrir o bolo com o creme de chocolate.

Alheira sobre pão no forno com ovo “estrelado”

Muito gostoso!
Apesar de aparentar ser pouco saudável não é assim tanto quanto parece. Ovo e a alheira não são fritos, nem foi utilizado qualquer gordura na sua confecão. Para fazer o ovo basta numa frigideira antiaderente bem quente, colocar o ovo, logo de seguida 2 colheres de água na lateral, tapar e baixar o lume, quando estiver no ponto desejado retirar com uma espátula.
Para as alheiras basta com um tesoura fazer um corte longitudinal na pele e abrir para os lados, para retirar-lhe a pele. Num pirex, colocar uma fatia de pão grande (uma boa forma de aproveitar pão velho) e colocar a alheira sobre o pão. Levar ao forno, a 180º, cerca de 30 minutos ou até estar douradinha. Utilizámos cacetinhos pois era o pão velho que tínhamos cá casa, o que dificultou depois a retirada do pirex, alheira partiu-se mas comeu-se na mesma 🙂 e assim colocamos em cima do pão o ovo “estrelado”. O pão fica delicioso, torradinho e com sabor a alheira e molhado na gema é qualquer coisa! Fica a dica.

Panados “fingidos”

Uma receita simples e saborosa que agrada à pequenada, e não só, da autoria da avó F.

Ingredientes
Lombinhos de porco
Dentes de alho
sal
sumo de limão
farinha de milho
azeite

Preparação
Cortar os lombinhos em pequenos bifinhos e temperar com sal, dentes de alho laminados e sumo de limão. Deixar marinar durante 30 minutos a 1 hora. Passar os bifinhos pela farinha de milho e colocar numa frigideira com azeite a cobrir o fundo. Deixar ganhar cor, antes de voltá-los a 1ª vez, caso contrário a polme fica agarrada ao fundo da frigideira.  Voltar os bifinhos, de quando em vez até estarem cozinhados. Aqui por casa gostamos deles coradinhos.
Parecem os panado normais mas são um bocadinho mais saudáveis e bastante saborosos. Uma receita que faz sempre sucesso cá por casa, embora a pequenada diga que os da avó são melhores!

Morangos, suspiros e natas

Fácil, rápido, fresquinho, doce q.b., gostoso, como diria pimpolha mais velha.

Ingrediente
2 pacotes de natas
2 colheres de sopa de açúcar em pó
1 kg de morangos
100g de suspiros

Preparação
Bater as natas em chantilly e juntar o açúcar em pó. Colocar, numa travessa retangular, os morangos, lavados e cortados ao meio. Espalhar as natas em cima dos morangos. Levar ao frigorífico para servir bem fresco. Antes de servir, esmigalhar os suspiros por cima das natas. 

Triffle de frutos vermelhos

Uma boa forma de aproveitar resto de bolo de iogurte ou de pão de ló. Desenjoativo, fresco, um belo doce!

Ingredientes
500g de iogurte grego natural
2 colheres de sopa de mel
1 colher de chá de essência de baunilha
650g de frutos vermelhos (utilizei congelados, pode ser só morangos ou outro fruto)
sumo de 1 limão
4 colheres de sopa de água
2 colheres de sopa de açúcar
1 bolo de iogurte

Preparação
Misturar a essência de baunilha e o mel com o iogurte grego. Cortar o bolo em fatias finas. Levar ao lume os frutos vermelhos com a água, o sumo de limão e o açúcar. Deixar ferver durante 5 minutos. Numa travessa retangular, colocar no fundo metade das fatias do bolo, em cima dispor metade dos frutos vermelhos e a calda (para embeber o bolo) e por cima metade do iogurte grego, repetir as camadas, terminando com o iogurte grego. Decorar a gosto com frutos vermelhos.

9 anos e mais um bolo de cenoura

Tem sempre mil ideias a fervilhar na sua linda mente, muitas delas pouco recomendáveis, tem um nível de energia e espírito de aventura difícil de acompanhar, é destemido, adora toda e qualquer atividade ao ar livre, faz trinta por uma linha quando confinado entre 4 paredes (bem, e fora delas também), é teimoso como ninguém, nunca tem dúvidas e raramente se engana, seguríssimo no seu saber e ser, caminha, age e vive com a determinação e autoridade de um super herói, considerando-se invencível, poderoso e no topo de toda e qualquer “cadeia”, é bem disposto, brincalhão, gozão, provocador, testa a paciência de todos à sua volta, não perdoa brechas na armadura, seja de quem for, e investe  sempre para vencer. Não se move pela comida e passa horas intermináveis à mesa, a não ser que tenha um compromisso que lhe desperte o alento e, por osmose, o apetite, ou o almoço seja salsichas ou pizza, o que raramente acontece. Lê apenas o obrigatório e indispensável, e, muitas vezes, fá-lo na diagonal, tirando umas por outras, às vezes não corre muito bem, livros não é com ele, escreve textos deliciosos e inventa brincadeiras e jogos mirabolantes, tudo fruto da sua prodigiosa e fértil imaginação; os números e os problemas são a sua praia “Canja de galinha”, como costuma apelidá-los! Sente-se, muitas vezes, injustiçado: refila, esperneia, grita e chora, em geral, quando alguém, ou a experiência, lhe mostram por a+b que: não é um super herói, não sabe nem domina tudo, o seu desejo/vontade, frequentemente, não prevalece, nem sempre está certo, as suas ideias e atitudes, às vezes, não são boas e /ou corretas. Irrita-se, profundamente, quando a vida, ou alguém, lhe mostra que nem tudo se faz a brincar, com muito humor e alguma provocação, e que é necessário empenho e trabalho sobretudo naquilo que não se gosta, que nem sempre se pode vencer ou ser o melhor e, às vezes, basta apenas dar o seu melhor. “Não é justo!” é a frase que aplica sempre que alguém, ou algo, o obriga faz assentar os pés no chão, lhe põe travão à criatividade e rebeldia, em excesso ou descontrolada, ou quando tira do sério uns quantos, especialmente a malta cá de casa, com a sua atitude altamente desafiadora, determinação desmesurada a que junta o seu ar de gozo maroto e a confiança extrema de um otimista nato. Gosta de perceber com funcionam as coisas e as engenhocas, anda sempre à caça de pilhas para experimentar em qualquer maquineta ou da caixa de ferramentas de excelentíssimo esposo, vai abrindo gavetas a ver ser se as encontra (escondemo-las estão sempre em sítio diferentes) mas regra geral encontra sempre, nas suas persistentes buscas, qualquer outra coisa que desperta a sua curiosidade, com pilhas ou sem pilhas,… é raro termos gavetas arrumados cá por casa! Tem um quarto só para si mas escolhe, todas as noites, dormir no quarto com as manas, onde há sempre conversa e emoção antes de todos adormecerem, o seu quarto é a sede das brincadeiras, e onde há sempre peças de Legos, no chão, pois, na hora de os apanhar, parecem-lhe sempre infinitos e, os malandros, fogem e escondem-se dele, e azar dos azares, ainda tem os TPC (que abomina e adia até não mais poder) por fazer e só naquele preciso momento se apercebeu que o seu timing está a terminar. Apesar de ser um verdadeiro pestinha, que nos faz questionar muitas das nossas (re)ações, e equacionar novas, tem uma grande perspicácia e sensibilidade que nos surpreende e emociona em variadíssimas ocasiões. É o rapaz entre as 2 miúdas, é o nosso pequeno do meio, desengane-se quem julga que é assim por ser o irmão do meio, o moço sempre foi assim, desde cedo mostrou a sua fibra, não é defeito, é feitio.
Invariavelmente, escolhe sempre como bolo de aniversário, um bolo de cenoura, embora não seja grande apreciador de nenhum bolo…

Ingredientes
Bolo
6 ovos
8 cenouras
2 chávenas de óleo
4 chávenas de açúcar
4 chávenas de farinha
1 colher de sopa de fermento

Cobertura
1 pacote de natas
1 tablete de chocolate de culinária
1 colher de sopa e manteiga

Preparação
Descascar e cortar as cenouras às rodelinhas. Levar a cozer com 2 paus de canela. Depois de cozidas e escorridas, retirar o pau de canela e triturar bem com a varinha mágica. Deixar arrefecer. Num taça, bater bem os ovos com o açúcar. Juntar o óleo e a cenoura, mexendo bem. Por fim, adicionar a farinha e o fermento, envolvendo bem. Levar ao forno, pré aquecido a 180ºC, numa forma retangular, forrada com papel vegetal, cerca de 1 hora (fazer o teste do palito pois fica um bolo grande). Para a cobertura, levar ao lume o chocolate e a manteiga. Adicionar as natas e mexer, até obter um creme brilhante.

Bolo(s) de gomas

A pedido da pequenada, para os seus aniversário, aventurámo-nos no bolo de gomas. Num espaço de um mês, quase que nos tornámos especialista na matéria. Inspirados nos bolos de gomas da Hussel, o segredo está em fazer uma base de marshmallows, gosto de colocar os entrançados a fazer o rebordo, faz um efeito bonito, e os restantes são mais fáceis de acondicionar no interior. Depois de dispor os marshmallows, ao alto no prato, atar com uma fita para não se desmantelar.

Por cima, dispor as gomas sortidas de forma a haver alguma simetria na forma e na cor. Os olhos da pequenada até brilhavam assim que punham a vista em cima daquele vistosa e colorida montanha de açúcar. Pensamento otimista, a dividir por quase 30 miúdos dá pouco a cada um, uma dia não são dias e os olhos também comem, alegra qualquer mesa de festa. Não é difícil de fazer, é um trabalho de paciência e ótimo para dar asas à imaginação/decoração.

Ingredientes (para um bolo grande)
2+ 1/2 pacote de marshmallows
2 pacotes de gomas sortidas

6 anos e um bolo de iogurte diferente

Os manos referem-se a ela, de quando em vez, carinhosamente ou apenas para a chatear, por “a bebé”, algo que a tira do sério e a leva a gritar-lhe bem alto “Eu não sou um bebé!” (e que belos pulmões tem a rapariga!)… Tem tanto de meiguinha como de teimosa, aparenta ser parecida com pimpolha mais velha mas quem a conhece bem, sabe que tem a mesma fibra e estaleca que o seu querido irmão ao qual acrescenta a sua enorme subtileza e charme feminino. Confiança não lhe falta: “Toda a gente me adora, toda a gente me adora!” ou “Eu sou mesmo o máximo”, são coisas que volta e meia lhe ocorrem e partilha alegremente com naturalidade e elegância, obviamente. Faz pela vida, não se deixa levar na conversa dos irmãos mais velhos, acompanha taco a taco as suas, e as nossas, brincadeiras e expedições, nunca dando parte de fraca, e talvez por isso seja super desenrascada. Sabe muito mais da vida que os irmãos sabiam com a sua idade, vantagem e desvantagem de ter irmãos mais velhos, é uma defensora nata dos seus direitos e dos seus queridos manos, especialmente do pequeno do meio, embora andem constantemente às turras e às brigas, mais uma vez especialmente com pequeno do meio. Em casa, o seu modelo é, claramente, pequeno do meio (MEDOOOOO!!!), são os dois terríveis, se um diz mata o outro diz esfola (e ela muitas vezes dá o mote). Na escola, é muito parecida com pimpolha mais velha (felizmente!!!), calminha, cumpridora, ninguém diz a fera que se esconde debaixo de tamanha doçura 🙂 Resumindo, reúne e aproveita o melhor que aprende e vê nos dois manos e aplica-o na perfeição em cada ocasião.
Adora desenhar, pintar e é grande compincha nos nossos trabalhos manuais, trata os números por tu e brinca com eles, conhece algumas letras, mas não as trata por tu, é muito amiga do seu amigo e preocupada com tudo e todos, gosta muito de mimo, é uma negociadora nata e é impiedosa nas armas que usa, é alegre e conversadora, é gulosa mas o almoço e o jantar não são momentos do seu agrado e gosta de confraternizar passar tempos infinito à mesa, normalmente na companhia do pequeno do meio, enerva-se, luta e impõe-se  em questões de justiça e igualdade e tem sempre algo a dizer, ou acrescentar, sobre todo e qualquer assunto. Revolucionou o nosso mundo: chorona, refilona e exigente desde o minuto em que nasceu; ela bem sabia, mais que ninguém, que tinha que marcar posição, especialmente numa casa cheia; anda há 6 anos a fazê-lo com grande categoria e elevação: é a nossa piequena mais nova no seu melhor, e às vezes, muito raramente, claro, no seu pior!!!
Para celebrar o seu 6º aniversário pediu um bolo de iogurte mas com chocolate… Aqui fica a receita de um bolo de iogurte diferente mas muito agradável.

Ingredientes
Bolo
500
g de farinha
250g de açúcar mascavado
6 ovos
2 iogurtes naturais açucarados
100 ml de leite
50 g de chocolate em pó
4 colheres de sopa de manteiga
2 colher de sobremesa de fermento em pó
1 colher de sobremesa de essência de baunilha

Cobertura e recheio
1 embalagem de queijo creme
1 colher de sopa de iogurte grego natural
½ colher de chá de essência de baunilha
140g de açúcar em pó

Preparação
Bater a manteiga com o açúcar, os ovos e a essência de baunilha. Adicionar a farinha, o fermento e o chocolate em pó e misturar bem. Juntar os iogurtes e o leite até ficar uma massa homogénea. Deitar o preparado, numa forma com o fundo forrado com papel vegetal e untado com manteiga, e levar ao forno, pré aquecido a 180ºC, durante cerca de 40 minutos. Deixar arrefecer.
Para a cobertura, juntar todos os ingredientes e mexer bem até obter um creme homogéneo. Colocar sobre o bolo e/ou utilizar parte para o rechear depois de este estar frio.

11 anos e mais um bolo de chocolate!

Parece que foi ontem… 11 anos com pimpolha mais velha a abrilhantar os nossos dias!
“Bué fixe” e “Bem louco!” ou “É uma seca!” e “É uma bosta!” são as suas expressões preferidas, com elas caracteriza tudo, todos e o mundo. Esperneia, revolta-se, barafusta, grita, por tudo e com todos, desde picuinhices às generalidades, às vezes chora como se não houvesse amanhã, tamanha é a frustação! Faz, frequentemente, o DAB conjuntamente com uns movimentos ritmadas com os braços e as mãos, num género de musically, que eu não sei bem o que é e ela também não; diz várias vezes ao dia, às vezes à semana, depende do quanto a contrariam ou não concordam com ela “Estragaste-me a minha vida!”. Tem várias best friends, mas apenas uma é uma best friend forever; o meu telemóvel está repleto dos “seus” grupos do Wahtsup e, nas raras ocasiões em que vai ao Wahtsup, constatamos que apesar das centenas de mensagens, não há por lá nada de novo útil e relevante; já se resignou ao facto de ser das poucas na sua turma que não tem telemóvel e vive bem com isso, e nós ainda melhor; tem um tablet, que partilha com os manos, que é praticante assíduo de meditação e retiro, dá um ar da sua graça de quando em vez aos fins de semana e nas férias, vive muito bem sem ele e desfruta ao máximo o tempo, bastante limitado, com ele, e nós e os manos aproveitamos ao máximo a companhia dela mesmo quando tem um dos seus tratuns; está quase da minha altura e calçamos o mesmo número; nem todo e qualquer trapinho ou sapatinho é do seu agrado, e, por vezes, tem de experimentar vários, espalhando-os em cima da cama ou pelo chão, antes de escolher o ideal; a Claire´s parece ter-se tornado a sua loja de eleição; adora os peluches da ty e auto denomina-se a sua professora de ginástica (don´t ask!), com várias turmas formadas com os seus e os das suas amigas; é uma excelente “planeadora” de eventos, teatros, concursos e brincadeiras; gosta de pintar, fazer rabiscos e escrevinhar; adora ler mas só os livros da sua escolha, às vezes escolhe ler o mesmo 2 vezes (com tanto livro bom que anda para aí… enfim) ou decide “Vou ler Luís Sepúlveda, a minha professora de português diz que os livros deles são muito giro!” e quando lhe digo “É verdade. Há vários dele na nossa estante, é só escolheres!”, mira-me desconfiada, reavaliando a sua anterior vontade, “Hummm… Ok, vou pensar nisso!”; o seu canal de eleição deixou de ser o disney junior para passar a ser o disney channel e as suas séries (Cassie, o acampamento kikiwaka e o the lodge e cenas que tais), no entanto não perde nenhum dos novos episódios da princesa Elena de Avalor, os filmes do disney junior; é fã dos Descendentes, já leu os dois livros que deram origem à série. Prescindiu de fazer festa de anos para fazer um programa, da sua escolha, com a sua BBF (best friend forever), os manos e os pais que incluiu uma mega circuito de arborismo, o filme “A bela e o monstro” com pipocas XXL, e ida ao Mcdonald´s (nem tudo é perfeito).

Aproveita em grande o melhor de dois mundos: o de criança e do de pré adolescente; vivendo todos os dias uma bocadinho em cada um. Está a crescer, a olhos vistos, demonstrando todos os traços típicos desta idade/fase mas continua meiga, confiante, amiga, curiosa, saudável… o mais importante permanece, o resto, com o tempo dissolve-se!

Para festejar, na escola, o seu dia de aniversário, com os colegas, pediu, mais uma vez, um bolo de chocolate. Foi esta a receita que alimentou, e ao que dizem deliciou, mais de 30 pré adolescente!

Ingredientes
Bolo
8 ovos
250g de chocolate em pó
200g de açúcar
300g de farinha
1 chávena de leite
1 chávena mal cheia de óleo
1/2 chávena de água
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de sobremesa de bicarbonato de sódio

Cobertura
1 pacote de natas
1 tablete de chocolate
1 colher de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de açúcar

Preparação
Para o bolo, aquecer bem o leite, adicionar-lhe o chocolate em pó e misturar bem. Numa taça, durante uns minutos, o açúcar e os ovos, até obter um creme volumoso e fofo. Juntar o leite com o chocolate, o óleo e a água morna, mexendo bem. Por fim, adicionar a farinha, o fermento e o bicarbonato de sódio, envolver bem. Deitar o preparado num forma forrado com papel vegetal e untada com manteiga. Levar ao forno, pré aquecido a 180º, cerca de 35 a 35 minutos (fazer o teste do palito). Deixar arrefecer de depois, com um palito, fazer pequenos furos na superfície do bolo e colocar a cobertura.
Para a cobertura, numa tacho colocar o chocolate em pedacinhos com a manteiga. Deixar derreter e juntar as natas e o açúcar até obter um creme espesso e brilhante. Deixar arrefecer um pouco e aplicar sobre o bolo (frio)

Bolo de amêndoa e batata cozida

Foi este o destino dado a umas batatas cozidas que andavam, no frigorífico, há 2 ou 3 dias.
Um bolo húmido, guloso e a fazer lembrar os doces conventuais. Uma perdição de tão bom que ficou…

Ingredientes
250g de batata cozida
250g de amêndoa
200g de açúcar
50g de manteiga derretida
8 gemas
4 claras
50g de manteiga
Raspas de 1 limão

Preparação
Esmagar as batatas, juntar o açúcar e envolver bem. Adicionar a manteiga derretida e envolver bem. Juntar a raspa do limão e as gemas, batendo bem. Misturar a amêndoa moída e envolver bem. Bater as claras em castelo e envolver no preparado anterior. Levar ao forno, pré aquecido a 180º, numa forma redonda pequena e untada com manteiga, durante cerca de 30 minutos.

Tarte de grão

Para mim, uma das melhores formas de comer grão. Desapareceu num ápice.

Ingredientes
Base
125g de farinha
60g de manteiga derretida
1 colher de sopa de sumo de limão
1 ou 2 colheres de sopa de água

Recheio
150g de grão
150g de açúcar
2 ovos
4 gemas
50g de manteiga derretida
Raspa de 1 limão
2 ou 3 gotas de sumo de limão
açúcar em pó

Preparação
Para a base, amassar bem todos os ingredientes. Deixar a bola de massa repousar cerca de 30 minutos.
Para o recheio, na picadora, colocar o grão, o açúcar e a raspa de limão. Picar bem, obtendo um creme amarelinho, colocar numa taça. Juntar os ovos, as gemas, a manteiga e o sumo de limão, envolver tudo muito bem.
Estender a massa e colocar, numa forma redonda de fundo amovível forrado com papel vegetal e untada com manteiga. Deitar o recheio sobre a massa. Colocar no forno, pré aquecido a 180º, durante cerca de 25 a 30 minutos. Antes de retirar do forno, aos 20 minutos, espalhar sobre a superfície da tarde um pouco de açúcar em pó e terminar de cozer (faz um camada estaladiça).

Bolo de chocolate e batata doce

Super húmido e mais uma pequena maravilha!

Ingredientes
500g de batata doce descascada (3 batatas doces médias)
200ml de leite de coco
6 ovos
100g amêndoa picada
150g de açúcar mascavado
200g de chocolate preto
25g de cacau em pó
2 colheres de sopa de fécula de batata
1 colher de sobremesa de aroma de baunilha (ou de açúcar baunilhado)
1 colher de chá de fermento

Preparação
Descascar as batatas, cortar às rodelas e levar a cozer, com um pouco de sal, durante 20 a 30 minutos. Depois de cozidas, esmagar a batata doce e deixar arrefecer. Numa tigela, bater bem os ovos, o açúcar e a batata doce (até obter um creme homogéneo e volumoso). Numa taça, partir a tablete de chocolate e juntar o leite de coco, levar o microondas para derreter durante cerca de 1 minuto e meio. Retirar e mexer bem. Juntar a amêndoa, a fécula de batata, o fermento, a baunilha e o cacau em pó, envolvendo bem, Bater bem. Juntar o chocolate derretido, no leite de coco, ao preparado anterior e envolver bem. Colocar o preparado, numa forma de fundo amovível, forrada com papel vegetal e untada com manteiga, levar ao forno, pré aquecido a 180º, durante cerca de 30 minutos (fazer o teste do palito). Deixar arrefecer e decorar a gosto (polvilhei com açúcar em pó)

Creme de batata doce e leite de coco

Diferente, exótico mas muito bom!

Ingredientes
5 batatas doces médias
1/2 chávena de leite coco
3 colheres de açúcar mascavado
1 colher de chá de canela
1 pitada de sal
1 colher de chá de aroma de baunilha
2 colheres de sopa de manteiga
amêndoas ou nozes para polvilhar (opcional)

Preparação
Colocar num pirex, as batatas doces, envoltas em papel de alumínio, e levar ao forno a 180º, durante 45 minutos a 1 hora (até estarem moles). Depois de cozidas, mas ainda quentes, cortar ao meio e, com a ajuda de uma colher, retirar o miolo da batata de dentro da casca e colocar numa tigela. Juntar os restantes ingredientes, com exceção das amêndoas ou nozes, e bater bem com a batedeira, até obter um preparado cremoso e homogéneo. Colocar num pequeno tabuleiro e polvilhar com nozes ou amêndoa e está pronto a comer. É bom morno, frio … resumindo é bom de qualquer maneira.